quarta-feira, 23 de março de 2011

REI DESTRONADO




Houve um tempo em que o Mar, grandioso e soberano,
sobre a terra imperou... Nem valado, nem serra,
nem animal, nem flor... Por toda a parte o insano
e trágico fragor que o seu rugido encerra.

Mas a luta interior, a incandescente guerra,
convulsionando o globo – insondável arcano! –
numa glória imortal fez exsurgir a Terra,
preexcelsa, a dominar sobre a amplidão do oceano!...

Hoje procura o Mar, bramindo ansioso e tredo,
conquistá-la outra vez... Contra a Terra se lança
Mas a Terra lhe opõe o orgulho do rochedo...

E, em vagalhões, o abismo, agitado e profundo,
ruge de ódio, a lembrar, num clamor de vingança,
o áureo tempo em que foi dominador do mundo!...

Tasso da Silveira
Poemas

Nenhum comentário:

Postar um comentário