sexta-feira, 25 de março de 2011

FANTÁSTICA




De teia tão fina teci teu rosto
no tear dos dias
na sala vazia das noites extenuadas
em triste vigília
pai
urdi tua fonte
tuas mãos
tua melancolia
nascida igual na minha boca
pai
filho imaginário do meu pensamento
se te amo tanto
entre fronteiras cegas
é para compor contigo
o vago poema
que deixaste incompleto


Dora Ferreira da Silva
Poesia Reunida (1999)

Nenhum comentário:

Postar um comentário