quarta-feira, 23 de março de 2011

A CANOA




Rompida de brechas, carcomida
por anos sem conta de luta no mar,
a velha canoa dos pescadores
foi arrastada para a planície,
foi exilada em terra firme,
longe do mar.

Mas veio o crepúsculo, e pôs distâncias no horizonte.

E a planície fremiu ansiadamente ...

... como se tivesse vontade de ser água
para a canoa navegar ...



Tasso da Silveira
in Poemas

Nenhum comentário:

Postar um comentário