terça-feira, 12 de abril de 2011

MESMICE



Quisera eu pôr nestes quatorze versos
Um leve, fino, alegre comentário
A algum novo e notável caso diário,
Entre os casos urbanos mais diversos.

Percorro dos jornais o noticiário,
Leio artigos e tópicos dispersos,
A pedidos satânicos, perversos,
Desastres, crimes, contos-do-vigário.

Nada encontro que inspire à alegre musa
Uma nota satírica e atrevida
Que nos nervos um frêmito produza.

É sempre a mesma coisa repetida:
Luza o sol, venha a noite, o sol reluza,
Como o banal, se reproduz a vida!


Emilio de Meneses

Nenhum comentário:

Postar um comentário